DICAS | TECNICAS | EXPERIENCIAS | NOVIDADES

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Dicas | Fotografia DG

O Fotografia DG está com um projeto super bacana! Todos os dias, publicam uma dica para fotógrafos, onde desde amadores até veteranos, podem acompanhar e aprender um pouco mais.
Vou estar postando aqui no blog, a cada fechamento do mês. Espero que aproveitem assim como eu. Abraço!



Dicas de Fevereiro

Dia 1 – #DicaDG: Aprenda a dizer não, se você não é o profissional adequado ao trabalho, não aceite fazê-lo.
Dia 2 – #DicaDG: Não tenha medo de indicar, se há outro profissional mais indicado para um trabalho, indique.
Dia 3 – #DicaDG: fotografia é mais sobre resultado do que sobre processo, o que se vê é mais importante do que o como foi feito.
Dia 4 – #DicaDG: iluminação pressupõe pensar em 3 luzes: principal, preenchimento e contra luz, mesmo que não use todas.
Dia 5 – #DicaDG: Infelizmente a compra de um novo equipamento não melhora nossa fotografia, sendo assim, estude e pratique.
Dia 6 – #DicaDG: com luz, lembre que a intensidade aumenta ou diminui conforme a distância da luz ao objeto fotografado.
Dia 7 – #DicaDG: luz mais próxima ao modelo fica mais suave, luz mais distante fica mais dura e projeta sombras delineadas.
Dia 8 – #DicaDG : para desfocar o fundo da imagem, use aberturas de diafragma
amplas, como f2 e f2.8
Dia 9 – #DicaDG : Sombrinha é um difusor de luz barato e super eficiente que você pode encontrar facilmente em lojas e sites especializados.
Dia 10 – #DicaDG : fotos que tenham contrastes, linhas e grafismos marcantes
funcionam bem ao ser convertidas para PB
Dia 11 – #DicaDG : Quer fotografar paisagens? Invista em um bom tripé e em um cabo disparador (ou controle remoto).
Dia 12 – #DicaDG : Muitos vídeos online sobre fotografia? No Youtube, busque
por “Digital Photography 1 on 1″ São + de 200 episódios!
Dia 13 – #DicaDG : estudar fotografia e artes, todos os dias 4hs por dia não é
muito se você quer se profissionalizar na área.
Dia 14 – #DicaDG : em fotografia de ambientes, aproveite ao máximo a luz
existente no ambiente, ela dá o clima da foto.
Dia 15 – #DicaDG : o fotômetro da câmera erra sempre que você tentar medir
objetos muito claros ou muito escuros.
Dia 16 – #DicaDG: Leia a série: A Câmera, A Cópia, O Negativo, de Ansel Adams. Embora escritos há mais de 50 anos serão sempre contemporâneos.
Dia 17 – #DicaDG : busque referências em outras artes além da fotografia,
estude cinema, pintura, música etc.
Dia 18 – #DicaDG : um bom curso de história da arte vale mais para o fotógrafo
que muito cursos de fotografia
Dia 19 – #DicaDG : se você não sabe qual é a melhor lente ou câmera para fazer
um trabalho , não aceite o trabalho e invista em cursos.
Dia 20 – #DicaDG : Flash de Estúdio (tochas) x Flash Remoto: flashs remotos são mais leves e portáteis, mas não possuem luz de modelagem.
Dia 21 – #DicaDG: evite fotos tremidas, ajustando tempo de obturador num
intervalo numericamente igual ao comprimento de sua lente.
Dia 22 – #DicaDG : Quer ganhar dinheiro com fotografia? Não deixe de ler o E-book http://www.fotografia-dg.com/ebook-ganhar-dinheiro-na-fotografia-disponivel-para-download/
Dia 23 – #DicaDG : Na composição fotográfica as linhas horizontais transmitem a sensação de tranquilidade e estabilidade.
Dia 24 – #DicaDG : A iluminação lateral enfatiza a textura das superfícies, enquanto a luz difusa faz com que a textura seja suavizada.
Dia 25 – #DicaDG : o para sol da lente é a melhor proteção que existe contra
impactos, use sempre.
Dia 26 – #DicaDG : mesmo sob luz abundante, o flash pode ser usado para tirar
sombras e dar brilho aos olhos.
Dia 27 – #DicaDG – Ao fotografar shows e espetáculos prefira a fotometria pontual (Spot) e faça o cálculo de luz nos personagens e não cenário.
Dia 28 – #DicaDG – Não tenha vergonha de ter pouco equipamento, algumas das melhores fotos foram feitas com equipamento mínimo.
Dia 29 #DicaDG – As sombras definem a forma do que foi fotografado, uma luz totalmente sem sombras fica “chapada” e sem vida.

domingo, 15 de abril de 2012

Tutorial | Silhuetas


Algumas pessoas no fórumdigitalfoto, flickr, face, etc, apesar de antiga, me perguntaram como fiz essa foto, então expliquei no fórum, mas vou colocar aqui no blog também.
Primeiramente, o motivo que me levou a produzir uma foto assim... Tenho o sonho de fotografar uma bailarina, como não conheço nenhuma, e sou apaixonada na poesia que elas fazem com o corpo, decidi fazer estas silhuetas.

Começando pelo EXIF :

Nikon D3100
Lente Nikon 55-200 4-5.6 AF-S

ISO 100
1/40s
f/5,5
55mm
Foco Manual
Balanço de Branco: Pré Definição Manual

Pesquisei imagens na internet, após impressão, colei e recortei num papel cartão.
Colei com fita durex no meu rebatedor que estava em cima de caixas de sapato apoiado no ferro da sombrinha, ou seja, a tocha estava sendo apontada pro rebatedor diretamente, e a sobrinha estava atrás da luz da tocha, para o outro lado, assim obtive um apoio para o rebatedor, e obtive um ponto de luz mais duro. 
Em nenhuma dessas fotos utilizei o flash em si, e sim a luz modeladora. Porém não tive de editar o amarelão depois, porque eu bati o branco pela predefinição manual, assim, todas as fotos já sairam branquinhas.
O interessante é que praticamente não fiz pós, essa vinheta já estava naturalmente devido a luz modeladora ser pequena e estava sendo apontada pra frente.
A luz que está entre as mãos da bailarina é a luz modeladora da tocha e essa sombra que está abaixo dela, nada mais é que a sombra do cabo da sombrinha que está apoiando o rebatedor, eu só precisei me posicionar do melhor modo para fazer a composição que queria.
Como pós no photoshop, somente cropei a imagem e apliquei um pouco mais de contraste.

Nome:      studiss.jpg
Visitas:     226
Tamanho:  117,7 KB
Making Of - Fotos Abaixo



Já nessas, precisei de mais edição, pois usei um palito. Vejam: 


Bem... é isso, apesar de ter ficado simples, me senti realizada, pois passei a poesia destas bailarinas.

Qualquer dúvida deixe aqui como comentário, será uma honra responder. 
Abraço e uma ótima semana a todos.



terça-feira, 10 de abril de 2012

Entrevista On Time | Primo Tacca Neto

O fotógrafo Tacca Neto, publicou no face uma materia feita pela On Time Fashion.
Vale a pena ler, não só os fotógrafos focados em moda, mas todos que se interessam por fotografia, são dicas que considero especiais. Abraço.



O Olhar de Primo Tacca Neto



Nem só de equipamentos vive o bom fotógrafo. Na área da moda especialmente, experimentação e criatividade são fundamentais para um trabalho de sucesso.
A OnTime conversou com Primo Tacca Neto, fotógrafo de moda, para explorar as especificidades e requisitos da profissão.


Requisitos de Moda


Ao falar sobre a profissão, Primo compara o trabalho do fotógrafo de moda ao de um  mágico: “Como os mágicos, precisamos criar um universo de ideias, muitas vezes propositalmente artificiais, envolve-las em muita produção, dar postura a tudo isso e transformar em fotos”, explica. Para isso, é fundamental aguçar a visão e ouvir também o que dizem as emoções. “Para criarmos nossa mágica, precisamos ver e sentir. Tudo o que você ver e te causar um impacto imediato deve ser considerado. Isso pode ser um filme, um livro ou uma história. É o que vai enriquecer suas ideias e te dar um diferencial”, afirma.

Outra característica fundamental para o sucesso profissional é a criatividade, que, segundo Primo, é o que nunca pode faltar. Também, liderança para coordenar uma equipe e um bom senso de timing para prever e resolver problemas são requisitos essenciais para quem pretende trabalhar na área.

Ainda, para os iniciantes, Primo recomenda foco, muita determinação e disciplina para adentrar o concorrido mercado. Além disso, é importante estar em sintonia quanto ao lugar em que se deseja trabalhar “Os processos do mercado de moda são similares para a maioria das empresas, mas cada região tem suas peculiaridades e seus trejeitos. O profissional que está começando precisa entender as necessidades do mercado local e focar nas empresas que tem o mesmo objetivo que ele”, recomenda.

Olhar plural e diferenciais de trabalho


Além de trabalhar com a fotografia de moda, Primo Tacca Neto realiza outros tipos de trabalho, e afirma o quanto é importante desenvolver um olhar plural enquanto fotógrafo. “Eu faço muitos books para modelos, e é aí que eu encontro espaço para dar vazão a toda a minha criatividade. Nessas sessões, muitas vezes testo ideias que mais tarde posso aplicar em campanhas, sabendo qual será o resultado. Isso me deixa mais seguro e enriquece muito meu repertorio visual enquanto fotógrafo”, conta.

Em seu trabalho, a principal proposta é transformar o conceito do cliente em imagens de impacto. Para isso, Primo precisa contar com uma equipe sintonizada num mesmo objetivo, e esse processo começa no momento da contratação. “Ao contratar alguém, as principais preocupações são com a postura, comprometimento e responsabilidade do profissional”, defende. “De nada adianta uma campanha que levou meses para ser concluída pelo cliente, depois passou uma extensa negociação comercial se, justamente no dia das fotos, um dos profissionais que eu contratei tratar mal o cliente ou modelos porque acordou de mau humor. O bom profissional é sempre parte da solução e procura tornar o ambiente de trabalho o melhor possível”, afirma.


Viver, aprender e ensinar


“O mercado de fotografia de moda continua crescendo a cada ano, isso é fato. Oportunidades estão sendo criadas o tempo todo no Brasil”, aponta Primo. Num mercado nessa situação, cresce a importância de boas fontes de aprendizado e trocas de experiências entre profissionais já renomados e iniciantes. O fotógrafo, que também ministra workshops, afirma essa importância e acredita em preparar uma nova geração de profissionais para o mercado. “Criei a abordagem dos meus workshops baseado nas dificuldades que eu tive no começo da minha carreira fotográfica de moda”, conta Primo, cujo workshop é setorizado, e funciona de uma maneira onde o aluno passa por todos os processos de um catálogo, e o professor faz o papel do cliente, orientando o estudante ao longo do trabalho e auxiliando na resolução de problemas. “Através dessa abordagem, os alunos irão entender que para o mercado de moda uma campanha tem data e hora para começar a ser veiculada, há muitas pessoas envolvidas e o produto final é algo que incide diretamente no faturamento de uma empresa, portanto, quase não há margem para erros”.

Para quem quer aprender, Primo dá a dica: “Meus workshops dão um bom norte aos fotógrafos na parte de composição fotográfica, formação de equipe e parte operacional da fotografia de moda, mas ainda assim eu recomendaria ao iniciante uma boa dose de cursos de moda”, explica. “Qualquer contato com cursos que possam inteirar o fotografo no universo da moda irá mostrar o quão dinâmico ele precisa ser”, finaliza.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Primo Tacca Neto, visite http://www.tacca.com.br/photo/

O olhar de Primo Tacca Neto por “Camila de Souza Faria, estudante de Jornalismo da UFPR”